Notícias

Renan Azevedo toma posse como novo governador do Sul Fluminense

Neste dia 30 de Junho de 2020, Renan Azevedo toma posse como novo governador do Sul Fluminense.

Ele passa a ser a autoridade máxima dentro do Distrito do Sul Fluminense. O político, natural de Valença anunciou também a fundação do PRC, o Partido Republicano Cristão. Um partido de centro-direita com ideologia cristã conservadora.

 

Declaração do Tratado de Queluz

O Reino de Bauru e São Vicente, o Império Deltariano, o Reino de São Salvador, o Reino de Manso, o Principado de Belo Horizonte e o Estado Livre da Guanabara, decididos a estreitar suas relações diplomáticas e comprometidos a criar uma aliança de Estados sul-americanos visando o desenvolvimento regional e a ajuda recíproca, anunciam à comunidade interacional que firmaram entre si o Tratado de Queluz, acertado entre as Altas Partes Contratas aos quinze do mês de abril de dois mil e vinte, na cidade de Queluz.

Declaramos a todos, e a quem esta mensagem chegar pedimos que faça correr, o intuito congregador deste Tratado, baseado nos pilares da amizade e da fraternidade entre os Estados signatários, e tornamos nossas motivações públicas:

  1. Sentindo falta de um órgão congregador, decidimos nos unir e discutir a possibilidade de se levantar um tratado;
  2. O tratado assentado busca fortalecer uma América do Sul antes fragmentada e frágil perante incursões externas;
  3. Além de resolver as questões territoriais, delimitando corretamente o início e o fim de cada Estado sul-americano, e assentar um reconhecimento mútuo entre os Estados;
  4. Também se criou mecanismos para realização de intercâmbio dos mais variados tipos para fomentar o desenvolvimento da região; e
  5. Buscando assegurar aos países sul-americanos a possibilidade de consolidarem-se como Estado soberano e independente, ente do direito internacional, firmamos o presente Tratado.

Com profunda alegria e mais nobres intenções, assinamos a presente declaração, feita em 16 de abril de 2020.

Pelo Reino de Bauru e São Vicente, Sua Majestade Perpétua o Rei Gustavo Garcia Longueville Bueno Toniato e Sua Graça o Barão de Mompean e Chanceler do Reino Unido de Baurú e São Vicente Henry Mompean d’Orleáns et Valois.

Pelo Império Deltariano, Sua Majestade Imperial e Real o Kaizer Viktor I wo Violsth e Sua Alteza Imperial o Príncipe de Cæsária Willahelm wo Violsth;

Pelo Estado Livre da Guanabara, Sua Excelência o Presidente Adilson Requião;

Pelo Principado de Belo Horizonte, Sua Excelência o Honorável Alto Chanceler e Ministro de Estado dos Assuntos Externos Lucas Maldonado, em nome de Sua Excelência o Regente do Principado de Belo Horizonte.

Pelo Reino do Manso, Sua Majestade Marina I Campos-Curado-Silva, Rainha Constitucional e Defensora Perpétua do Manso, Sua Alteza o Duque de Esmeraldina e Ministro das Relações Exteriores Igor Oliveira e Sua Excelência o Ministro da Cultura e Tecnologia Milton Costa.

Pelo Reino de São Salvador, Sua Majestade Real o Rei Ezequiel Calebe Teles de Queiroz e Sua Excelência o Ministro das Relações Exteriores Augusto Loren Yaxley.

Tratado de Reconhecimento entre a Guanabara e o Reino de Piratini

 

Tratado de Reconhecimento Mútuo e Estabelecimento de Relações Diplomáticas entre o Reino de Piratini e o Estado Livre da Guanabara

 

Tratado de Cabo Frio

 

As altas partes signatárias deste documento, concordaram com seus termos em negociações previamente estabelecidas e estão dispostos à ratificá-lo após sua assinatura.

Disposições Primárias

Art. 1° O Reino de Piratini e o Estado Livre da Guanabara reconhecem um ao outro como Estados Soberanos e Independentes.

Art. 2° O Reino de Piratini e o Estado Livre da Guanabara se comprometem a respeitar mutuamente seus símbolos, identidade cultural e integridade territorial.

 

Da Extensão Territorial

Art. 3° O território do Reino de Piratini compreende a totalidade dos territórios (a confirmar).

Art. 4º O território do Estado Livre da Guanabara compreende a totalidade do território do Estado do Rio de Janeiro, na República Federativa do Brasil.

Art. 5º Reclamações territoriais posteriores de ambas as partes estarão sujeitas a reconhecimento dos Estados.

 

Das Relações Diplomáticas

Art. 6º O Reino de Piratini e o Estado Livre da Guanabara estabelecem relações diplomáticas representadas por missões permanentes em ambos os Estados sob os termos da Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas de 1961.

Art. 7º Os membros do pessoal diplomático da Embaixada deverão, em princípio, ter a nacionalidade do Estado acreditante.

 

Disposições Finais

Art. 8º O presente tratado entrará em vigor na data de sua ratificação por ambas as partes.

 

Assinado em Cabo Frio, 12° dia do mês de Fevereiro de 2020

 

Exoneração do Ministro de Defesa

Comunicamos que a partir dessa data, o governo de Guanabara, divulga a exoneração do ministro Arthur Vieira, agradecendo pelos seus préstimos junto a pasta.

Nomeia o novo ministro Renato Al Mig, para dar sequência as implementações e reformulações do ministério.

Assinatura do Tratado de Llanes

Tratado de Llanes



Este documento ratifica oficialmente no Estado Livre da Guanabara

O presente Tratado terá a duração indefinida e entrará em vigor após a sua ratificação por parte do Parlamento de cada Estado Membro

 

Tratado de Llanes


Art 1- Fica instituida a paridade cambial de 1:1 entre os Estados Membros.

Art 2- A Comunidade usará o seguinte sistema de crédito:
Novo usuário: 20 Moedas
Login diario: 01 Moedas
Crédito por noticia publicada: 05 Moedas
Novo post em forum: 02 Moedas
Resposta a post(400 caracteres min): 02 Moedas
Excluir post do forum: 02 Moedas
Ausencia de login por 5 dias corridos: 50 Moedas

Art 3- Cada Estado Membro manterá uma filial de seu Banco Nacional em cada outro Estado Membro.

a) Caberá aos Bancos Nacionais o transito de moeda entre os Estados Membros.

Art 4- A não aprovação do Tratado por parte de um Estado Membro, tornará a sua permanência como Membro da Comunidade inviável.

Adilson Requião

Presidente do Estado Livre da Guanabara

Regulação das Regiões Administrativas e seus governantes

O Governo do Estado Livre da Guanabara oficializa a organização de seu território em 8 Regiões Administrativas.

Cada região terá um governante responsável pelo desenvolvimento local.

Segue abaixo o quadro de suas Regiões Administrativas e seus respectivos governantes.

Divisões de Primeiro Nível (Distritos)

Divisões Administrativas da República da Guanabara
Flag Coat of arms Nome Province
code
Capital Habitantes Área (est.)
(m2)
Densidade Governador Sede Adnministrativa
Bandeira Guanabara.png Brasão Guanabara.png Guanabara GU Rio de Janeiro 16 718 956 hab. 43 780,172 km² 381,88 hab./km² Adilson Requião Parlamento da Guanabara
Primeiro Nível – Regiões Administrativas
DistritodoRio.png Royal Coat of Arms of Juclandia.png Rio de Janeiro RIO Rio de Janeiro 6,500,000 hab. 1 200,177 km² 5 573,28 hab./km² Adilson Requião Prefeitura do Rio de Janeiro
BandeiraNiteroi.png BrasaoNiteroi.png Niterói NIT Niterói 500,000 nab. 129,3 km² 3 958,13 hab./km² Fabiana Costa Prefeitura de Niterói
BaixadaFluminenseFlag.png BaixadaFluminenseFlag.png Baixada Fluminense BAI Duque de Caxias 2,419,298 hab. 799,085 km² 3, 027,58 hab./km² Wanderley da Silva Prefeitura de Dique de Caxias
RegiaoSerranaFlag.jpg RegiaoSerranaFlag.jpg Região Serrana SER Petrópolis 480,000 hab. 1 785 063 km² 0,27 hab./km² Nuno Alberto (Don Nuno) Prefeitura de Petrópolis
Flag of Urcensia.png Coat of arms of Urcensia.png Região dos Lagos LAG Cabo Frio 670,000 hab. 3 633,803 km² 186,5 hab./km² Em aberto Em aberto
NorteFluminense.jpg Coat of arms of Ayrshire.png Norte Fluminense NOR Campos dos Goytacazes 1,180,000 hab. 15 105 988 km² 61,0 hab./km² Renato Al Mig Prefeitura de Campos
SulFluminenseFlag.png SulFluminenseFlag.png Sul Fluminense SUL Volta Redonda 1 062 000 hab. 7 918 501 km² 134,1 hab./km² Tobias ferreira Prefeitura de Volta Redonda
CentroFluminenseFlag.jpg CentroFluminenseFlag.jpg Centro Fluminense CEN Nova Friburgo 472,246 hab. 6 817,732 km² 69,3 hab./km² Em aberto Em aberto

Observação: Algumas regiões ainda não possuem governantes, em breve este quadro será preenchido.

Parlamento anuncia Renato Al Mig como novo membro

O Parlamento da Guanabara emitiu um Comunicado Oficial para informar que o presidente do Movimento Coletivo dos Trabalhadores, o MCT, será membro do Parlamento e poderá exercer as funções legislativas dentro do parlamento.

Com isto, O Parlamento passa a ter seis membros.

 

Membros do Parlamento

LOGO PARTIDOS IDEOLOGIAS PARLAMENTARES ELEITOS
Partido Liberal.jpg Partido Liberal Liberalismo Econômico
Partido Socialista.png Partido Socialista Socialismo
PSD Guanabara.png Partido Social Democrata Social democracyProgressivism
PNCG.png Partido Conservador Nacionalismo – Conservadorismo
MCT.png Movimento Coletivo dos Trabalhadores Centro – Progressismo

Tratado de Niterói – Reconhecimento entre Guanabara e Reino da Espanha

TRATADO DE RECONHECIMENTO MÚTUO

REINO Da ESPANHA e o ESTADO LIVRE DA GUANABARA, através da Chancelaria Real e do Ministério de Relações Exteriores, em nome de Sua Majestade Real Dom Tiago III de Saxe-Coburgo-Gotha e de Sua Excelência Adilson Requião, concordam em utilizar sua influência para oferecer suporte mútuo em seus posicionamentos em negócios internacionais quando houver concordância entre ambas as nações. Neste caso, concordam em construir uma relação diplomática forte construída na solidariedade e cooperação entre nações.

Este tratado também é dado como base para qualquer consulado ou embaixada que sejam estabelecidos entre as duas nações. Estas embaixadas deverão estar sob a administração única da Chancelaria Real, no caso do Reino da Espanha, e do Ministério de Relações Exteriores, no caso do Estado Virtual da Guanabara. Tais agências são reconhecidas como elo exclusivo entre as nações.

Doravante, a quem interessar possa, reconheça-se que os seguintes artigos entram em vigor de boa fé e espontaneamente pelos governos do Reino da Espanha e do Estado Livre da Guanabara.

Artigo 1º – O Reino da Espanha reconhece oficialmente o Estado Livre da Guanabara como uma micronação soberana e independente, reconhece Sua Excelência Adilson Requião, como seu legítimo governante e Chefe de Estado, reconhece seu atual governo como legítimo e legalmente empossado, e também o Ministério de Relações Exteriores como a única entidade autorizada a pronunciar-se pelo povo da Guanabara diante da comunidade internacional.

Artigo 2º – O Estado Livre da Guanabara reconhece oficialmente o Reino da Espanha como uma micronação soberana e independente, reconhece Sua Majestade Real Dom Tiago III de Saxe-Coburgo-Gotha, o Rei, como seu legítimo governante e Chefe de Estado, reconhece seu atual governo como legítimo e legalmente empossado, e também Chancelaria Real como a única entidade autorizada a pronunciar-se pelo povo da Espanha diante da comunidade internacional.

Artigo 3º – Deverá haver um estado perpétuo de amizade e não-agressão entre os Estados supramencionados e que as partes devem esforçar-se para resolver de maneira pacífica quaisquer questões que possam ocorrer para afastá-las.

Artigo 4º – Que ambas as partes signatárias esclarecem que este ato bilateral de reconhecimento, irrevogável e incondicional, se estende só e unicamente às micronações soberanas e independentes das quais esta declaração se trata, seus Governos e seus Territórios, não compreendendo, necessariamente, os países, micropaíses ou agremiações de semelhante caráter por estes entes reconhecidos ou aos quais estendem laços de amizade ou aliança.

Artigo 5º – Que ambas as partes devem respeitar seus aspectos militares e políticos, desde que eles não infrinjam seus próprios interesses. Na eventualidade de uma contenda internacional, ambas as partes devem apoiar-se mutuamente.

Artigo 6º – Fica assegurada às populaçãos das micronações signatárias a livre circulação em seus territórios e suas dependências, tendo em vista o trabalho, estudo, turismo, diplomacia, em acordo com as leis nacionais e intermicronacionais vigentes. A livre circulação populacional não garante a dupla cidadania.

Artigo 7º – Fica assegurada a transferência de capitais das micronações signatárias, com taxas de câmbio fixadas em comum acordo entre os governos das partes envolvidas, em acordo com as leis nacionais e intermicronacionais vigentes.

Artigo 8º – O presente Tratado deverá ser ratificado por cada uma das micronações signatárias.

Feito em Niterói, no Estado Livre da Guanabara, em 08 de Agosto de 2019.